quarta-feira, 9 de janeiro de 2013

Umberto Eco - O Leitor Assassino

in Posfácio ao Nome da Rosa, 1983


2 comentários:

  1. Umberto Eco (Alexandria, 5 de janeiro de 1932) é um escritor, filósofo, semiólogo, linguista e bibliófilo italiano de fama internacional. É titular da cadeira de Semiótica (aposentado) e diretor da Escola Superior de ciências humanas na Universidade de Bolonha. Ensinou temporariamente em Yale, na Universidade Columbia, em Harvard, Collège de France e Universidade de Toronto. Colaborador em diversos periódicos acadêmicos, dentre eles colunista da revista semanal italiana L'Espresso, na qual escreve sobre uma infinidade de temas. Eco é, ainda, notório escritor de romances, entre os quais O nome da rosa e O pêndulo de Foucault. Junto com o escritor e roteirista Jean-Claude Carrière, lançou em 2010 "N’Espérez pas vous Débarrasser des Livres" (“Não Espere se Livrar dos Livros”, publicado em Portugal com o título "A Obsessão do Fogo" e ainda inédito no Brasil).

    Fonte:
    http://pt.wikipedia.org/wiki/Umberto_Eco

    ResponderExcluir
  2. OuLiPo (Ouvroir de Littérature Potentiel, algo como oficina de literatura em potencial) é uma corrente literária formada por escritores e matemáticos que propõe a libertação da literatura, aparentemente de maneira paradoxal, através de constrangimentos literários.
    Histórico

    Surgida na França no ano de 1960, seus principais autores são Raymond Queneau, François Le Lionnais, Italo Calvino e Georges Perec, entre outros.

    Seus autores procuram propor regras para suas produções literárias tais como escrever um romance inteiro utilizando uma só vogal (Les revenentes, de Georges Perec), utilizando ao máximo a linguagem oral (Zazie no Metrô, de Raymond Queneau), entre outras restrições.

    Dois membros do OuLiPo, Marcel Bénabou e Jacques Roubaud, no artigo intitulado Qu´est-ce que l´OuLiPo? (O que é o OuLiPo?), dizem que "é a literatura em quantidade ilimitada, potencialmente produzível até o fim dos tempos, em grande quantidade, infinitas para todos os usos". Sobre o autor que se dedica a essa prática dizem que é "um rato que constrói seu próprio labirinto de onde se propõe a sair".

    Movimento semelhante pode ser encontrado na pintura (OuPeinPo)

    Fonte:
    http://pt.wikipedia.org/wiki/Oulipo

    ResponderExcluir